COMO A PRESERVA JÚNIOR SUPEROU SEUS DESAFIOS EM 2018 E ALCANÇOU A META DE ALTO CRESCIMENTO EM 180%

O ano era 2018, próximo de comemorar 6 anos de fundação, a Preserva Jr. alcançou o Alto Crescimento pela segunda vez, acontecimento que não se esperava em um ano que começou com tantas dificuldades. A única certeza que todos carregavam era o sonho de se tornar AC ao final do ano e subir no palco do prêmio FEJEMG, que é um evento onde Empresas Juniores de Minas Gerais se reúnem para comemorar suas conquistas e serem reconhecidas.

Atingir o Alto Crescimento significa que uma Empresa Júnior alcançou todas as metas estipuladas para aquele ano dentro do cluster que se encontra. E o cluster é uma métrica utilizada para que as empresas sejam agrupadas de acordo com seu nível de maturidade e desafios enfrentados por ela. Então ser AC é muito mais que bater metas, é superar dificuldades, conseguir melhorar os processos e os resultados de toda organização em conjunto e ser reconhecido por isso, é realmente incrível!

A gestão se iniciou conturbada, com apenas 13 membros, organograma novo, mudado no final de 2017, dois cargos em vacância, poucos assessores, falta de consultores para executar projetos – o que deixou os membros mais sobrecarregados e os limitou de fechar projetos, problemas do ano anterior e uma meta de 15 projetos e R$ 66.260,00 de faturamento, a maior estipulada até então.

Equipe
Equipe

Foi assim que viram a necessidade de voltar todas as forças para o Processo Seletivo, que era o que selecionaria membros para dar continuidade à história da Preserva Jr. e que, consequentemente, seriam também responsáveis por alcançar os resultados da empresa. Quase todas as atividades foram paralisadas para realização do processo, projetos em andamento, propostas e prospecção de clientes foram interrompidas, além de toda pressão que precisaram lidar de realizar uma seleção efetiva.

Em abril de 2018, a empresa já contava com os mais novos 23 trainees entre os quase 60 candidatos que participaram do Processo Seletivo. Com a rotatividade entre os cargos e engajamento para que fossem efetivados, foi possível retornar com as atividades antes paradas. Metas de clientes por meio da prospecção ativa começaram a ser estipuladas semanalmente, criando um clima de empolgação entre os trainees e motivação para se saírem bem no processo e, assim, foram surgindo mais oportunidades de executar projetos. Os cargos que estavam em vacância, mas com membros responsáveis, começaram a ganhar maior entendimento e destaque.

Outro desafio ainda estava próximo, trainees seriam efetivados muito próximo das eleições para gestão de 2018/2. Além disso, membros que estavam desde o começo do ano, iriam pedir desligamento e isso significaria que membros recém efetivados teriam que se desafiar em cargos de liderança e abraçar organização a qual tinham acabado de entrar e se comprometer ainda mais para melhorar os resultados até o final do ano e alcançar o esperado AC. No início da gestão, tamanha responsabilidade assustou um pouco, mas todos ali tinham certeza que conseguiriam e queriam fazer o melhor para isso.

Estratégias para conseguir mais projetos e aumentar o faturamento começaram ser elaboradas, caminhava-se bem conforme o tempo passava, mas ainda não era o suficiente e cada dia mais próximos do prêmio FEJEMG. Em outubro chegou para a Gerência de Negócios uma demanda de um grande projeto, o Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) da cidade de Coqueiral. Era uma negociação com a prefeitura e tinha-se conhecimento que era algo demorado e difícil, então, mesmo com essa grande proposta em andamento, não contou-se apenas com ela, estratégias continuaram sendo elaboradas, até porque ainda faltava a meta de projetos.

Faltando cinco semanas para o prêmio FEJEMG, a Diretoria Executiva da época, resolveu propor um Plano de Guerra, que foi chamado de “365 em 5”, ou seja, tudo que não havia se conseguido ainda, seria buscado em cinco semanas. Foi a partir dele que toda empresa se mobilizou para alcançar o AC. Essas semanas foram repletas de vontade e motivação, qualquer horário vago entre as aulas, se tornou motivo para ir na sede da Preserva prospectar e ajudar no que fosse preciso.

Foi em meio a tanta empolgação, conseguindo mais e melhores projetos, fidelização de clientes, todos fazendo além do cargo em que estavam, faltava quase duas semanas para o prêmio FEJEMG e certa preocupação já começava aparecer, porém ninguém cogitou em desistir. Foi então que no dia 29 de novembro de 2018 recebemos a notícia de que o PMSB havia sido fechado com a prefeitura.

Batendo meta
As sensações de superar a meta em 180%

Nesse momento, muitos estavam trabalhando na sede, fazendo reunião de projetos em outro lugar, em aula, e no grupo começamos a mandar fotos das nossas carinhas felizes pelo o que havíamos conseguido juntos, orgulho, emoção, transbordar, superação, realização, felicidade, faltavam palavras para expressar todos os sentimentos. No grupo de ex membros foi outra explosão de emoções, todos esperavam por isso e nós além de conseguir bater as metas, conseguimos o gráfico da virada de 2018, o gráfico que deixava claro que a meta tinha sido alcançada em 180% a mais de faturamento e todo nosso esforço naquele momento foi recompensado. Recompensado pelo orgulho e pertencimento a nossa amada Preserva Júnior.